Mano demitido.Comparou acusação de racismo à malandragem

Mano demitido.Comparou acusação de racismo à malandragem
Flamengo vai ao STJD contra ato de Ramírez. E contra Mano, por chamar de 'malandragem'
Flamengo vai ao STJD contra ato de Ramírez. E contra Mano, por chamar de 'malandragem' ALEXANDRE DURÃO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO - 20.12.2020

São Paulo, Brasil

"Ele me chamou de negro."

"Agora virou malandragem.

"Malandragem?

"Malandragem, não.

"Você me respeita!"

(Diálogo entre Gerson e Mano Menezes)

"Rogério... Não vai expulsar ele? Está mandando tomar no **. Foi na cara do juiz que mandou tomar no **.

"Se aconteceu... Se estamos errados, estamos errados. A gente não quer estar certo estando errado. Mas aquele menino não iria fazer isso com o Gerson. Eu conheço o jogador, chegou agora, é um guri.

"Quanto tempo parou o jogo? Quanto tempo parou o jogo agora por causa do Gerson? Tem que tomar bico do Daniel (Alves) mesmo. Tem que tomar bico do Daniel, que é mais malandro que tu. Ele quer mandar em todo mundo... Quer mandar no jogo."

(Mano Menezes falando sobre Gerson com Rogério Ceni. Depois, desabafando alto.)

Rogério Ceni teve todo o apoio de Rogério Ceni, dos companheiros, da diretoria
Rogério Ceni teve todo o apoio de Rogério Ceni, dos companheiros, da diretoria Sergio Moraes/Reuters - 20.12.2020

Não bastasse o péssimo desempenho, 24 jogos, oito vitórias, dois empates e 14 derrotas, a postura do treinador em relação à acusação de racismo de Gerson a Ramírez teve um peso enorme.

E Mano Menezes foi demitido do Bahia.

Assim como o colombiano Ramírez tem enorme chance de ter seu contrato rescindido.

Pela acusação de Gerson, de tê-lo chamado de maneira pejorativa, de 'negro'.

O Bahia sempre foi um clube que se posicionou absolutamente contra o racismo.

A diretoria foi suscinta no anúncio da saída do técnico gaúcho.

"O Esporte Clube Bahia comunica que Mano Menezes não é mais o técnico do Esquadrão.

Nesta mesma ocasião aproveitamos para anunciar que, em relação à grave acusação de racismo envolvendo o colombiano Indio Ramírez, o clube se posicionará em breve após finalizar a apuração do caso."

O ex-treinador da Seleção Brasileira segue em assustadora decadência na carreira.

Ele saiu do Cruzeiro, encaminhando o clube à Segunda Divisão. Assumiu o Palmeiras e foi mandado embora depois de apenas 20 jogos.

Vai embora do Bahia, depois de 24 jogos, com o clube, na 16ª colocação, com os mesmos pontos do Vasco, que está na zona do rebaixamento.

O termo 'malandragem' escolhido por Mano Menezes para definir a postura de Gerson em relação à denúncia de racismo foi lastimável.

E que causou enorme rejeição entre dirigentes e mesmo entre torcedores do Bahia.

Mano tinha contrato até o final de 2021.

A assustadora decadência de Mano Menezes. Há dez anos comandava a Seleção
A assustadora decadência de Mano Menezes. Há dez anos comandava a Seleção CBF

Ele acreditava que abriria novo filão de trabalho, assumindo uma equipe do Nordeste.

Só ficou de setembro até dezembro.

Mas deu tempo de comandar a equipe na eliminação na Copa Sul-Americana diante do pequeno Defensa y Justicia, da Argentina, além de deixar o Bahia no caminho da Segunda Divisão no Brasileiro.

Mano Menezes perdeu mais um emprego.

Para piorar, a diretoria do Flamengo garante que irá ao STJD contra o treinador.

"Além de apoiar o Gerson na esfera criminal, o Flamengo representará ao STJD contra o atleta que ofendeu racialmete o Gerson, assim como o fará contra o Mano Menezes, que apoiou a ofensa racial e chamou de malandragem. Temos que banir o racismo da nossa sociedade", garantiu o vice-presidente jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches.

Mas a situação pode ficar muito ruim para Ramírez.

No final da noite de ontem, a CBF fez questão de anunciar no seu twitter.

"A CBF está solicitando à Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva a abertura imediata de uma investigação sobre a denúncia de racismo feita pelo jogador Gerson Santos, do Clube de Regatas do Flamengo, na partida deste domingo (20/12) diante do Esporte Clube Bahia."

Ramírez pode ser suspenso até dez jogos por racismo, ou injúria racial, expressão que a legislação utiliza e miminiza situações lastimáveis de racismo.

Gerson também usou as redes sociais, para mostrar a revolta, a dor. E reiterar sua acusação contra o colombiano Ramírez.

Que teria usado a seguinte expressão com ele, na partida de ontem.

"Cala a sua boca, negro."

"Amo minha raça e luto pela cor.

"O "cala boca, negro" é justamente o que não vai mais acontecer. Seguiremos lutando por igualdade e respeito no futebol - o que faltou hoje do lado contrário. Desde os meus 8 anos, quando iniciei minha trajetória no futebol, ouço, as vezes só por olhares, o “cala a boca, negro”. E eles não conseguiram. Não será agora.

"Não basta não ser racista, é preciso ser antirracista". Não adianta ter o discurso, fazer campanha, e não colocar em prática em todos os aspectos da vida, inclusive dentro de campo. O futebol não é algo fora da sociedade e um ambiente onde barbaridades como o “cala a boca, negro” podem ser aceitas.

O colombiano Ramírez tem enorme chance de ser dispensado do Bahia
O colombiano Ramírez tem enorme chance de ser dispensado do Bahia Alexandre Vidal/Flamengo

"É uma pena nós, negros, termos que falar sobre isso semanalmente e nenhuma atitude no esporte ser tomada a respeito. E é mais triste ainda ver a conivência de outras pessoas que estão dentro de campo e que minimizaram e diminuíram o peso do ato de hoje no Maracanã. É nojento conviver com o racismo e ainda mais com os que minimizam esse crime.

"Não vou 'calar a minha boca'. A minha luta, a luta dos negros, não vai parar. E repito: é chato sempre termos que falar sobre racismo e nada ser feito pelas autoridades.

"Racismo é crime. E deve ser tratado desta maneira em todos os ambientes, inclusive no futebol.

"Não me calaram na vida, não me calaram em campo e jamais vão diminuir a nossa cor."