Reino Unido aprova vacina contra a Covid-19 desenvolvida por Oxford e AstraZeneca

Governo britânico anunciou nesta quarta-feira que aceitou a recomendação da agência reguladora para autorizar o uso do imunizante. ue O Reino Unido anunciou, nesta quarta-feira (30), que aprovou a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca para uso na população. A previsão é de que as doses comecem a ser aplicadas na segunda (4) em grupos de risco, que serão prioritários. A vacina é uma das quatro testadas no Brasil. O país também tem um contrato de compra e transferência de tecnologia da vacina, que será produzida em solo brasileiro pela Fiocruz. No Twitter, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson celebrou: "É uma notícia fantástica - e um triunfo para a ciência britânica - que a vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca foi aprovada para uso. Vamos nos encaminhar para vacinar o maior número de pessoas o mais rápido possível", escreveu Johnson. O Reino Unido começou a vacinar sua população contra a Covid-19 no início do mês, com a vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer e da empresa alemã de biotecnologia BioNTech, sendo o primeiro país a utilizar o imunizante. Idosa de 90 anos é a primeira a ser vacinada contra Covid-19 no Reino Unido O que se sabe sobre a nova variante do coronavírus que levou a novo lockdown na Inglaterra "Com duas vacinas agora aprovadas, nós poderemos vacinar um grande número de pessoas que estão em risco, protegendo-as da doença e reduzindo a mortalidade e as hospitalizações", diz em nota o governo britânico. VÍDEOS: notícias sobre vacinas contra a Covid-19

Reino Unido aprova vacina contra a Covid-19 desenvolvida por Oxford e AstraZeneca
Governo britânico anunciou nesta quarta-feira que aceitou a recomendação da agência reguladora para autorizar o uso do imunizante. ue O Reino Unido anunciou, nesta quarta-feira (30), que aprovou a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca para uso na população. A previsão é de que as doses comecem a ser aplicadas na segunda (4) em grupos de risco, que serão prioritários. A vacina é uma das quatro testadas no Brasil. O país também tem um contrato de compra e transferência de tecnologia da vacina, que será produzida em solo brasileiro pela Fiocruz. No Twitter, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson celebrou: "É uma notícia fantástica - e um triunfo para a ciência britânica - que a vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca foi aprovada para uso. Vamos nos encaminhar para vacinar o maior número de pessoas o mais rápido possível", escreveu Johnson. O Reino Unido começou a vacinar sua população contra a Covid-19 no início do mês, com a vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer e da empresa alemã de biotecnologia BioNTech, sendo o primeiro país a utilizar o imunizante. Idosa de 90 anos é a primeira a ser vacinada contra Covid-19 no Reino Unido O que se sabe sobre a nova variante do coronavírus que levou a novo lockdown na Inglaterra "Com duas vacinas agora aprovadas, nós poderemos vacinar um grande número de pessoas que estão em risco, protegendo-as da doença e reduzindo a mortalidade e as hospitalizações", diz em nota o governo britânico. VÍDEOS: notícias sobre vacinas contra a Covid-19