Estudante de Campos, RJ, vende doces na porta de local de prova do Enem para conseguir cursar Medicina

Ana Luíza Peçanha, de 17 anos, passou para uma faculdade particular de Medicina em Itaperuna, no Noroeste Fluminense, mas precisa arrecadar R$ 40 mil para garantir a vaga até que o resultado do Fies saia. Ana Luíza Peçanha passou para uma universidade particular e precisa juntar dinheiro para pagar as primeiras mensalidades até que o resultado do Fies saia Alice Sousa Quem fez o segundo dia de prova do Enem neste domingo (24) no maior local de aplicação de Campos, no Norte Fluminense, não pôde deixar de perceber a banca de doces da estudante Ana Luíza Peçanha, de 17 anos. A jovem passou para faculdade de Medicina de Itaperuna, no Noroeste do estado, mas precisa conseguir R$ 40 mil para garantir a vaga até que o resultado do Programa de Financiamento Estudantil (Fies) saia. Ana Luíza fez a prova para uma universidade particular em dezembro e contava com a nota do Enem 2020 para conseguir o financiamento. Como o exame foi adiado diversas vezes e as notas da edição do ano passado serão divulgadas apenas em março, não será possível usar o desempenho desta edição para concorrer ao financiamento estudantil do primeiro semestre, apenas na edição que abre inscrições em abril. “Graças a venda dos docinhos e as doações eu consegui pagar minha matrícula", conta Ana Luíza, de 17 anos Alice Sousa De acordo com a mãe da estudante, Andréa Peçanha, cursar medicina é um sonho para Ana Luíza, por isso toda a família está se empenhando para ajudá-la. “Desde pequena ela sempre falava que queria ser médica, mas quando ela viu a nossa condição financeira ela começou dizendo que seguiria outras profissões. Aí quando foi em agosto ela me chamou no quarto e falou que queria muito fazer medicina. Então eu falei: Minha filha, tenta. A gente vai colocar o pé e Deus vai colocar o chão”, relembra a mãe emocionada. Ana Luíza Peçanha, de 17 anos, montou uma banca de doces no maior local de aplicação da prova do Enem em Campos, no Norte Fluminense, neste domingo (24) Alice Sousa Para assegurar a vaga, a estudante terá que arcar com as mensalidades até conseguir o financiamento. Para isso, Ana Luíza e familiares têm vendido doces em bairros da cidade, como a Pelinca, e feito vaquinhas online. “Graças a venda dos docinhos e as doações eu consegui pagar minha matrícula e agora eu preciso contar com a ajuda das pessoas para poder pagar as mensalidades até maio, que é a previsão do Fies. E a partir dele, ter o financiamento integral das minhas mensalidades”, explica a jovem. Estudante de Campos, RJ, vende doces na porta de local de prova do Enem para conseguir cursar Medicina Alice Sousa Estudantes que saíam da prova do Enem parabenizaram a família pela iniciativa e perseverança, além de ajudarem comprando os docinhos. Ana Luíza vai continuar com a venda e quem quiser encomendar doces pode entrar em contato com ela pelo número (22) 99607-0643.

Estudante de Campos, RJ, vende doces na porta de local de prova do Enem para conseguir cursar Medicina

Ana Luíza Peçanha, de 17 anos, passou para uma faculdade particular de Medicina em Itaperuna, no Noroeste Fluminense, mas precisa arrecadar R$ 40 mil para garantir a vaga até que o resultado do Fies saia. Ana Luíza Peçanha passou para uma universidade particular e precisa juntar dinheiro para pagar as primeiras mensalidades até que o resultado do Fies saia Alice Sousa Quem fez o segundo dia de prova do Enem neste domingo (24) no maior local de aplicação de Campos, no Norte Fluminense, não pôde deixar de perceber a banca de doces da estudante Ana Luíza Peçanha, de 17 anos. A jovem passou para faculdade de Medicina de Itaperuna, no Noroeste do estado, mas precisa conseguir R$ 40 mil para garantir a vaga até que o resultado do Programa de Financiamento Estudantil (Fies) saia. Ana Luíza fez a prova para uma universidade particular em dezembro e contava com a nota do Enem 2020 para conseguir o financiamento. Como o exame foi adiado diversas vezes e as notas da edição do ano passado serão divulgadas apenas em março, não será possível usar o desempenho desta edição para concorrer ao financiamento estudantil do primeiro semestre, apenas na edição que abre inscrições em abril. “Graças a venda dos docinhos e as doações eu consegui pagar minha matrícula", conta Ana Luíza, de 17 anos Alice Sousa De acordo com a mãe da estudante, Andréa Peçanha, cursar medicina é um sonho para Ana Luíza, por isso toda a família está se empenhando para ajudá-la. “Desde pequena ela sempre falava que queria ser médica, mas quando ela viu a nossa condição financeira ela começou dizendo que seguiria outras profissões. Aí quando foi em agosto ela me chamou no quarto e falou que queria muito fazer medicina. Então eu falei: Minha filha, tenta. A gente vai colocar o pé e Deus vai colocar o chão”, relembra a mãe emocionada. Ana Luíza Peçanha, de 17 anos, montou uma banca de doces no maior local de aplicação da prova do Enem em Campos, no Norte Fluminense, neste domingo (24) Alice Sousa Para assegurar a vaga, a estudante terá que arcar com as mensalidades até conseguir o financiamento. Para isso, Ana Luíza e familiares têm vendido doces em bairros da cidade, como a Pelinca, e feito vaquinhas online. “Graças a venda dos docinhos e as doações eu consegui pagar minha matrícula e agora eu preciso contar com a ajuda das pessoas para poder pagar as mensalidades até maio, que é a previsão do Fies. E a partir dele, ter o financiamento integral das minhas mensalidades”, explica a jovem. Estudante de Campos, RJ, vende doces na porta de local de prova do Enem para conseguir cursar Medicina Alice Sousa Estudantes que saíam da prova do Enem parabenizaram a família pela iniciativa e perseverança, além de ajudarem comprando os docinhos. Ana Luíza vai continuar com a venda e quem quiser encomendar doces pode entrar em contato com ela pelo número (22) 99607-0643.