Antiviral em comprimido contra covid tem resultados promissores

Antiviral em comprimido contra covid tem resultados promissores
Testes adicionais serão necessários para comprovar eficácia do medicamento
Testes adicionais serão necessários para comprovar eficácia do medicamento Divulgação/Ridgeback Biotherapeutics

Um antiviral para tratamento da covid-19 desenvolvido pelos laboratórios Ridgeback Biotherapeutics e Merck apresentou resultados animadores na segunda fase de testes em humanos, informaram as duas empresas.

O medicamento molnupiravir foi capaz de reduzir a carga viral de pessoas infectadas pelo coronavírus no 5º dia de uso, segundo o comunicado.

Este foi apenas um dos desfechos do estudo — os demais devem ser apresentados nos próximos dias. A fase 2 envolveu 202 pacientes adultos com covid-19 não hospitalizados.

O principal objetivo da linha de pesquisa é desenvolver um medicamento a exemplo do que ocorre com o Tamiflu (oseltamivir), usado frequentemente nos primeiros dias da gripe. 

“Os resultados do objetivo secundário neste estudo, de uma redução mais rápida do vírus infeccioso entre os indivíduos com covid-19 precoce tratados com molnupiravir, são promissores e, se apoiados por estudos adicionais, podem ter implicações importantes para a saúde pública, particularmente porque o SARS-CoV- 2 vírus continua a se espalhar e evoluir globalmente", afirmou o médico William Fischer, investigador principal do estudo, por meio de uma nota das duas empresas.

Os resultados apresentados também dão conta de que o remédio é seguro. "Dos 4 eventos adversos graves relatados, nenhum foi considerado relacionado ao medicamento do estudo", afirmam os pesquisadores.

Segundo os desenvolvedores, o molnupiravir já se mostrou ser capaz de ajudar no tratamento e na profilaxia de outros tipos de coronavírus, como os que causaram as epidemias da SARS (2002-2003), na China, e da MERS (2012), no Oriente Médio.

Os laboratórios continuam a fase 3 de testes, com um número maior de participantes, para obter resultados que possam sustentar um pedido de uso emergencial da droga junto às agências reguladoras.